Esporte

Ceni vê rebaixamento do Bahia como "inadmissível" e afirma: "Vamos fazer os pontos necessários"

O empate em 1 a 1 do Bahia com o Athletico Paranaense deixou ainda mais complicada a briga do Tricolor para escapar do rebaixamento.

Imagem de destaque da notícia
O empate em 1 a 1 do Bahia com o Athletico Paranaense deixou ainda mais complicada a briga do Tricolor para escapar do rebaixamento. Com quatro jogos pela frente, o Esquadrão de Aço vai precisar correr dobrado para evitar o pior no primeiro ano do Grupo City no comando do futebol tricolor. Questionado sobre como os líderes de Manchester observam a situação do clube, o técnico Rogério Ceni chamou para si a responsabilidade e disse ver o rebaixamento como "inadmissível".

"Pra mim é tratado como inadmissível, não me interessa o que os outros pensem. Duvido que achem uma coisa normal o Bahia na segunda divisão. Tem que ser tratado como inadmissível por nós e pelos atletas. São os atletas que entram em campo, somos nós que preparamos o time... A palavra 'inadmissível' tem que estar ligada a nós", disse.

Rogério Ceni admitiu os erros do time em mais uma partida sem vencer, mas não jogou a toalha sobre a briga na tabela. Para ele, o Esquadrão de Aço vai fazer os pontos necessários.

"São respostas difíceis, entendo a pergunta. A gente não precisa esconder os erros, acontecem mesmo. Hoje não foi um erro individual, foi marcação coletiva, responsabilidade é nossa, a gente determina. Canobbio, pequeno, ganhou essa bola. Mas não adianta pontuar os defeitos aqui, adianta tentar corrigir, o que não é fácil. Se o Bahia vai sair dessa situação não vai ser já contra o Corinthians, temos que somar muitos pontos. Aguardar os jogos do Cruzeiro. Tenho convicção que vamos fazer os pontos necessários. Vamos estar na briga até o final, será sofrido até o último jogo. Se a gente jogar como jogou contra o Grêmio, como jogou contra o Athletico, e tiver melhor acabamento das jogadas, temos totais condições. Precisamos fazer nosso jogo com o Corinthians, e trazer para casa, contra o São Paulo. Vamos fazer o nosso melhor para o Bahia permanecer na Série A. Nove treinamentos até o próximo jogo, situação do Everaldo, fora, vamos analisar e ver a melhor peça, sistema, para fazer um bom jogo fora de casa e, quem sabe, vencer e melhorar a situação. Analisar com calma, trabalhar, vamos para cima. Nós podemos jogar de maneira superior. Quando as oportunidades surgirem, teve jogos que matamos com pouca", indicou.

Com 38 pontos, o Tricolor é o 16º colocado da competição nacional. A depender dos próximos resultados do Cruzeiro, que tem dois jogos a menos, a equipe pode parar na zona de descenso.

Siga a coluna Esportes do Bahia Notícias no Google News e veja os conteúdos de maneira ainda mais rápida e ágil pelo celular ou pelo computador!

Comentários

Leia estas Notícias

Acesse sua conta
ou cadastre-se grátis